a xanela malva e a cerdeira

un hábitat condenado a morte polo ladrillo

a luz do outono

eu son o fareiro da cerdeira

vixio o sol, as nubes e os temporais

o que acontece no mar das follas

se o merlo naufraga

ou afondan as cereixas

e ás veces, baixo ao mundo

e axúntome coa xente

nos bares e as tabernas.

blog_cerdeira0001

Lugo, 13 novembro 2008        ©xosé marra

Novembro 14, 2008 - Posted by | cerdeira

Ainda sem comentários.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

<span>%d</span> bloggers like this: